DISCURSO DE ABERTURA DO X CONPE

Por Marilda Gonçalves Dias Facci
Presidente futura da ABRAPEE
Maringá, 2011

Em nome do Prof. Dr. Júlio Santiago Prates Filho, Magnífico Reitor da Universidade Estadual de Maringá, eu cumprimento todos os componentes desta mesa, ressaltando a nossa satisfação em dar início aos trabalhos do X CONPE – Congresso Nacional de Psicologia Escolar e Educacional, em Maringá, na cidade canção, nesta noite de 03 de julho de 2011.

Juntamente com a Profa. Dra. Beatriz Belluzo Brando Cunha, presidente da ABRAPEE, que não pode estar presente neste momento devido a problemas de saúde na família, podemos dizer que nossa Associação está em festa. A UEM também está em festa por poder contribuir para a organização de um evento tão importante para a área de Psicologia Escolar. A alegria, a emoção se faz presente nesta hora de abertura deste evento.

Estamos iniciando os trabalhos da X edição do Congresso. Foram muitos oscaminhos trilhados e são muitos os caminhos a percorrer, tema deste X CONPE. Em um país no qual o analfabetismo beira a 30%, que vive a contradição entre produzir e transmitir conhecimento correndo o risco de cair no produtivismo, a possibilidade de divulgar nossas pesquisas neste evento é muito bem vinda.

Nestes caminhos trilhados, a Psicologia contribuiu muito para a Educação, por meio dos conhecimentos produzidos para compreender o processo ensino-aprendizagem. Piaget, Vigoski, grandes expoentes da Psicologia tem sido muito utilizados por educadores e psicólogos para compreender o desenvolvimento do psiquismo, assim como outras perspectivas teóricas tem primado para entender o indivíduo. Visões tradicionais com modelo clínico caracterizaram a atuação do psicólogo na escola, que vem buscando, no decorrer dos anos, uma intervenção crítica, analisando os determinantes histórico-sociais para compreender os problemas que perpassam o ensinar e o aprender.

Nos caminhos a serem trilhados a Psicologia Escolar e Educacional deve ter como norte principal contribuir para que todos tenham acesso ao conhecimento produzido pela história dos homens. Os desafios são enormes, em uma sociedade que vive o esvaziamento do conhecimento e que não garante de forma igualitária o acesso a cultura.

A ABRAPEE tem buscado algumas frentes de trabalho para fortalecer a área de Psicologia Escolar, entre elas: contribuir com iniciativas em nível municipal, estadual e federal para a inserção do psicólogo na escola; se contrapor a medicalização que tem assolado a escola, desviando nosso olhar da compreensão de condições matérias que promovem o insucesso escolar; mas, principalmente, incentivar o crescimento da ciência e da profissão de psicólogo escolar e educacional, como um meio de promover o bem-estar e o desenvolvimento humano, enfocando para isto o processo educacional no seu sentido mais amplo.

Esperamos que os trabalhos produzidos no Congresso nos auxiliem em nossas pesquisas e práticas profissionais.Podemos dizer que realmente realizamos um congresso nacional, pois estamos recebendo de 03 a 06 de julho, cerca de 1200 participantes, entre pesquisadores, psicólogos, educadores, alunos de graduação e pós-graduação, profissionais de outras áreas afins, que buscam neste congresso um espaço de discussão e de aprofundamento das questões que ainda nos desafiam no campo da educação, provenientes de praticamente todos os estados do Brasil e do Distrito Federal.

Estaremos com muitas atividades nesses dias que hoje se iniciam. Teremos:
– 58 mini-cursos
– 347 comunicações científicas
– 88 mesas redondas/simpósios, totalizando cerca de 260 trabalhos
– 137 painéis
– 114 partilhando experiências

No total teremos aproximadamente 900 trabalhos apresentados, relatando pesquisas e práticas profissionais.

Gostaria de, na condição de presidente futura da Associação, agradecer em primeiro lugar à Universidade Estadual de Maringá, aqui representada pelo seu Reitor, Prof. Júlio, por nos acolherem em sua casa. Podemos dizer que nos sentimos bastante apoiadas para a realização deste congresso. Agradecer ao Departamento de Psicologia, em nome do Profa. Lucia Cecília e Sonia Shima, pela atenção e apoio na realização deste evento. Como sabemos, um congresso dessa natureza, com aproximadamente 1200 participantes é feito por muitas mãos. Os nossos mais sinceros agradecimentos à Profa. Marilene Proença, da USP que assumiu a importante tarefa de atuar como Presidente da Comissão Científica, aos colegas de vários estados e universidades brasileiras que aceitaram compor a Comissão Científica deste evento.

Agradecer principalmente aos colegas professores do DPI, companheiros de grandes empreitadas como este Congresso e aos alunos e bolsistas que atuarão durante o evento como Monitores e aos funcionários da UEM que contribuíram para que pudéssemos organizar o evento. Sabemos a importância deste Congresso para o desenvolvimento do nosso trabalho na área escolar.

E finalmente quero agradecer aos queridos colegas de Diretoria da ABRAPEE, que de maneira coletiva, possibilitaram a existência deste evento, colaborando nas mais diversas fases de sua realização.

Tivemos o apoio de três importantes agências de fomento: CNPq, FAPESP e FUNDAÇÃO ARAUCÁRIA, demonstrando a legitimidade deste evento bem como a qualidade da pesquisa dos professores desta área. A todas os nossos agradecimentos. Agradecemos também aos conselhos de Psicologia, Conselho Federal, Conselhos Estaduais de São Paulo e Paraná. Agradecimentos também à Livraria Casa do Psicólogo, responsável por vários materiais de divulgação e pelo caderno de programas.

As pesquisas apresentadas, elaboradas na forma de resumo e/ou texto completo estarão disponíveis nos site da ABRAPEEE. Esta compilação dos trabalhos permitirá a ampliação da pesquisa e da circulação do conhecimento na área. Com os trabalhos apresentados esperamos, conforme menciona Marx, sair da aparência e buscar a essência dos fatos, pois nossa ciência só será necessária se seguir este caminho.

Iniciamos este X CONPE com o espírito de realmente realizar um congresso que permita transformar estes dias, em espaços de convívio, estudo e contatos interpessoais. Que possamos nos permitir partilhar experiências, realizar encontros, discussões acadêmicas e concretizar articulações políticas na ampliação da teoria e da prática profissionais. Penso que, como Vigotski esclarecia, cognição e afeto devem caminhar juntos no processo de aprendizagem e, neste espaço de encontro, esperamos que nossa acolhida aos participantes, em um jeito maringaense de ser, proporcione momentos de reflexão e proposição de ações que caminhem em prol da socialização do conhecimento e da possibilidade de humanização de todos os alunos que passem pelos bancos escolares.

Com certeza, temos ainda muito a melhorar, a aperfeiçoar na organização e na efetivação de eventos dessa natureza, mas esperamos que este seja de fato um lugar de encontro, de crescimento, de avanço na Psicologia Escolar e para a Psicologia Brasileira.

Em nome da ABRAPEE, o nosso muito obrigada a todos e um ótimo congresso para todos nós…
Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.